• Glau Tambra

Fala, Autor! #1 - A Mulher na Literatura Fantástica




Todo homem deveria reconhecer que as mulheres possuem a alma mais profunda e bela que existe no planeta, cuja sensibilidade, também chamada de sexto sentido, é um privilégio exclusivo delas, embora o fato não seja comprovado cientificamente. Há aquelas que são complacentes, outras mais endurecidas pelos traumas da vida, contudo e, só talvez, o título de “complicadas” que nos é atribuído advenha do fato de sermos incompreendidas pelo gênero masculino. Ah!, se eles entendessem o universo feminino... Penso que não é bom enveredarmos por esse caminho, o melhor mesmo é lembrar que há tempos, a classe feminina tem se imposto no mercado de trabalho em todos os segmentos controlados por homens e, como não poderia deixar de ser, eles também comandavam a literatura.

Parafraseando a escritora Simone de Beauvoir, não se nasce mulher, torna-se uma. Somos por natureza, pessoas persistentes e pacientes, duas qualidades permeadas pela ansiedade, claro; portanto, não é surpresa que também fomos capazes de lutar e desbravar esse nicho literário dominado por Tolkien, Lewis, Kafka, Vianco e tantos outros. Então, em comemoração ao nosso dia, vamos tratar do tema AUTORAS DE LITERATURA FANTÁSTICA.

Vale lembrar que há mulheres em todos os gêneros literários como Jane Austen, as irmãs Brontë e Nora Roberts no romance romântico, Agatha Christe no policial, Virginia Woof no psicológico. No Brasil, podemos falar de Paula Pimenta, Carina Rissi, Tammy Luciano, Cristina Valori, Paula Pilar, Bianca Carvalho, Luciane Rangel e por aí vai. E quais são as mulheres que escreviam e escrevem fantasia, seja internacional ou nacional? Como autora desse gênero, fui buscar as mulheres que se impuseram e se firmaram no mercado editorial.

Encontrei a autora britânica de literatura fantástica Mary Shelley (1797 a 1851) que escreveu o surpreendente Frankenstein. Uma trama complexa e fascinante que levou sua história a ser contadas diversas vezes pelos amantes da sétima arte. Essa os leitores devem conhecer porque retratou as lendas do Rei Arthur, — a qual essa autora que vos fala é fã de carteirinha — Marion Eleanor Zimmer Bradley (1930 a 1999), escritora norte-americana de romances sobre fantasia e ficção científica, conhecida principalmente pelas séries As Brumas de Avalon, A Sacerdotisa de Avalon.

Não posso esquecer-me de Anne Rice, escritora norte-americana influenciada por Virginia Woof, que se firmou no gênero terror e fantasia com os livros: Entrevista com o Vampiro que também foi para as telonas com Tom Cruise no papel principal e A Rainha dos Condenados, entre outros.

Impossível não mencionar essa autora, porque tenho certeza que muitos jovens se aventuraram no hábito da leitura por causa de sua série. Vamos falar em nada mais e nada menos que J. K. Rowling, escritora, roteirista e produtora cinematográfica britânica, conhecida pela série Harry Potter. Ela é a musa inspiradora de muitos autores e um exemplo de perseverança na literatura fantástica. Além de receber vários “nãos” no manuscrito do primeiro livro da série HP e a Pedra Filosofal, um editor/agenciador lhe disse que não venderia o livro porque era uma fantasia escrita por mulher, pode isso? Eu já subiria no meu belo salto Luís XV e mostraria do que uma mulher é capaz! — brincadeira galera, sem violência, por favor. Foi por esse motivo que ela usava as abreviaturas J. K. para não identificar que era uma mulher. Seria um preconceito? Tirem suas conclusões...

E são muitas as autoras que se firmaram no gênero Cassandra Clare, Allyson Noël, Lauren Kate, Juliet Marillier e eu não conseguiria citar todas elas aqui. Já no Brasil, a primeira escritora de literatura fantástica segundo a revista Continente na edição 207 foi a cearense Emília Freitas em 1895. As mulheres contemporâneas fincaram a bandeira nesse nicho e são muitos os nomes: Carolina Munhóz, Rosana Rios, Helena Gomes... Segue uma lista compilada pelo blog da Leitora Viciada, confira: http://www.leitoraviciada.com/2015/10/LitFanBRas.html

É isso, espero que tenham gostado e que essas mulheres possam inspirar tantas outras a se firmarem, seja na literatura ou em qualquer área que atuem.

Fiquem à vontade para citar nomes de mulheres para lá de poderosas na literatura nos comentários.

Até a próxima!


GLAU TAMBRA é formada em direito e estudante de Letras, mãe, escritora e integrante do grupo literário Batida de Letras. Nascida no interior de São Paulo, é apaixonada por histórias, lendas e livros. Leitora compulsiva, dava asas a sua imaginação, brincando de inventar histórias sobre Terras e mundos mágicos para seu filho e assim descobriu sua verdadeira vocação...

Compre o livro A Caçadora do Tempo:

Na Amazon em https://goo.gl/yKVp4c Na Livraria Cultura em https://goo.gl/LJE78K Na Saraiva em https://goo.gl/j34WGe No site da Qualis Editora https://goo.gl/eYj47d

MÉTODO DE ENVIO:           INSTITUCIONAL:               EXTRAS                              FALE CONOSCO                   SIGA-NOS:

 

                                                  Home                             Vale presente            Contatos

                                         Publique                         Minha conta             Devoluções

                                         Autores                                                            Entrega e Trocas

                                         Loja                                                               

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Blogger - Black Circle

© 2008 - 2019 by Qualis Editora e Comércio de Livros Ltda - Todos os direitos reservados. 
CNPJ: 09.644.361/0001-45