• Bia Carvalho

O Que NÃO Fazer Ao Entregar Seu Original a uma Editora

A gente sabe o tamanho da ansiedade que preenche nossos coraçõezinhos quando submetemos nossa obra à avaliação de uma casa editorial. Conhecemos o peso do nosso sonho e o quanto seria incrível começar com o pé direito, com o apoio e investimento de uma empresa conceituada.

Porém, essa ansiedade muitas vezes pode nos atrapalhar, e eu sei de casos de muitas pessoas que tinham um trabalho incrível, mas que foram rejeitadas por seus comportamentos indevidos.

Pensando nisso, depois de fazer um post dizendo como o seu original deve ser entregue para ter mais chances (LEIA AQUI), eu trouxe hoje algumas dicas que podem te ajudar a descobrir o que os editores odeiam que a gente faça, para que você não seja jogado no limbo dos originais nunca sequer avaliados.

1- Não entregue um original incompleto

A não ser que seja acordado previamente com o editor em questão, não fique enviando capítulos pingados, pois o livro não será avaliado desta forma. Além disso, encher a caixa do editor de e-mails com novas partes do texto não é legal.

Porém, o maior problema deste tipo de abordagem é, principalmente, que mostrará ao profissional que você não revisou e nem irá revisar sua obra, afinal, depois do término da escrita, é necessário lermos e relermos o original para não deixarmos possíveis buracos e falhas.


2- Não pressione o editor por uma resposta

Em média, um editor recebe por volta de 30 originais por dia. Fazendo as contas, chegamos à conclusão que, por mês, 900 originais chegam na mesa deste profissional. Infelizmente, o seu é apenas mais um dentre tantos outros. Agora você imagina se essas 900 pessoas resolvessem pressionar o coitado com mensagens quase diárias perguntando se ele está lendo, se vai ler ou se tem alguma resposta?

Não é proibido pedir um parecer, mas, ao menos, espere algum tempo por ele. Em média, uma editora com um volume desses de recebimento de originais pede de 4 a 6 meses para a avaliação. Verifique o tempo estipulado pela empresa à qual está se candidatando e tenha paciência.


3- Não puxe o saco do editor nem da editora

Não mande mensagens elogiando a editora, enaltecendo seus trabalhos, acreditando que isso irá te dar alguma vantagem. Se for um elogio de coração, sem qualquer segunda intenção, tudo bem, vá em frente, caso contrário, você estará apenas agindo erradamente.

Apesar disso, é legal que no seu e-mail de apresentação (ou na carta, caso seja uma entrega de originais impressos) você explique o porquê de ter interesse em publicar com aquela editora. É importante que demonstre conhecer a linha editorial adotada, que cite livros que já leu e gostou. Isso não é proibido, pelo contrário. Apenas mostrará que você realmente conhece a empresa e que não saiu enviando seu original para todas as que encontrou pelo caminho.


4- Não implore

Editoras são empresas e visam o lucro, sempre. Não são obras de caridade. Não escreva cartas de apresentação contando histórias tristes de vida, nem mande mensagens para os editores pedindo por favor que seu trabalho seja publicado. Se for um bom texto, ele terá muitas chances, mas se não estiver pronto, infelizmente, por mais digna de empatia que seja a sua trajetória, isso não mudará nada.


4- Não minta

Não invente um número de vendas anteriores absurdo, não conte vantagens mentirosas e nem apresente dados falsos, pois isso só irá te queimar no mercado. Caso aconteça de uma editora realmente te publicar, ela irá criar expectativas altas para o número de vendas. E se este número não for atingido, ela não irá investir em outra obra sua, o que eu particularmente acho ainda pior.


5- Não crie treta com o editor

Por mais que você possa estar chateado com a falta de resposta, não seja grosseiro e nem faça textões em redes sociais falando mal do profissional. O mercado é pequeno e o mundo dá voltas, e sem dúvidas você irá reencontrar esta pessoa em outra editora ou em algum evento, e o climão será péssimo.

Além disso, sem dúvidas essa sua rebeldia chegará nos ouvidos de outros profissionais, que já irão te olhar com olhos desconfiados.


6- Não marque editores e editoras em postagens sobre o seu livro

Muitas pessoas acreditam que um editor será marcado em um post de resenha, por exemplo, e irá decidir que aquele é um original que merece ser publicado só por isso. Pessoal, isso NÃO acontece, a não ser em casos raríssimos.

Há um investimento muito grande para se publicar um livro, e uma única resenha positiva ou um número razoável de leitores no Wattpad não irá fazer com que seu livro se torne o novo sucesso de Dan Brown da noite para o dia. Tenha bom senso e use essas cartas na manga em um book proposal bem feito.



Gostaram das dicas? Espero que sim!

Até semana que vem!

BIA CARVALHO tem 31 anos, é carioca e autora da Trilogia das Cartas, cujos direitos foram adquiridos para publicação na Argentina, pela Ed. DeCiutiis, e do BestSeller da Amazon, Horas Noturnas. Em 2016, seu conto Ao Anoitecer foi publicado na antologia O Livro Delas, pela Editora Rocco, oriunda do projeto LitGirls Br.

MÉTODO DE ENVIO:           INSTITUCIONAL:               EXTRAS                              FALE CONOSCO                   SIGA-NOS:

 

                                                  Home                             Vale presente            Contatos

                                         Publique                         Minha conta             Devoluções

                                         Autores                                                            Entrega e Trocas

                                         Loja                                                               

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Blogger - Black Circle

© 2008 - 2019 by Qualis Editora e Comércio de Livros Ltda - Todos os direitos reservados. 
CNPJ: 09.644.361/0001-45